sábado, 16 de março de 2013

O Universo dos Fatos.

            - Já observou que as alegrias são sempre causas e as tristezas são sempre fatos?

            Quando queremos ser felizes buscamos sempre causar essa felicidade, seja indo á um parque de diversão, restaurante, um encontro enamorado, casa de um parente, uma festa... Mas as tristezas surgem sem nossa permissão!

            Isto porque as tristezas não estão sobre o nosso domínio, é claro que há coisas que acontecem quando nós mesmos causamos, porém sempre buscamos os fatos que nos torna felizes, seja porque queremos ou até para tentar esquecer as tristezas.

            Em nosso Universo cada um de nós pode até mesmo ver o mesmo filme e ter opiniões diferentes sobre o mesmo filme, só que o filme é um fato que está gravado. Você pode até mesmo ver novamente e reexaminar sua opinião seus sentimentos e buscar entender e aproximar sua opinião com a de outra pessoa, afinal o filme esta ali, gravado! Porém em nosso dia-a-dia os momentos que vivemos não são gravados totalmente em nossa memória.

            As Pessoas podem até ver o mesmo fato e ter opiniões diferentes sobre as ações que participaram do mesmo evento...

            Vejo hoje em dia muita gente falando sobre:

A Verdade de Cada um!

Como se para um mesmo fato pudesse haver centenas de milhares de verdades diferentes!

Seria como se cada um de nós víssemos o mesmo filme e para cada um o filme é diferente!

Hora!

Fatos são fatos, podemos até ter opiniões diferentes sobre eles, mas os fatos são como dizem:

- Uma Fatalidade!

Isso não caracteriza um evento qualquer como sendo bom ou ruim, uma partida de futebol, por exemplo, uma jogador pode cometer um erro de fazer um gol contra, que pode ser ruim pra ele, mas bom para o time adversário, podemos dizer que não há como retornar no tempo e mudar esta fatalidade, só podemos mudar a visão interna de como realmente foi o ocorrido, embora o que caracteriza o fato não é nossa opinião sobre ele e de fato os fatos que já ocorreram não estão mais sobre nosso controle, sendo assim nossa opinião pode até ser diferente, mas é preciso entender que os fatos podem até tirar vidas, como no caso de um “acidente fatal” e ainda sim não é o fato, o ato ou o ser responsável por causá-lo, embora sua visão possa lhe dar uma expectativa diferente do fato.

Então onde ficam as verdades qualitativas sobre os fatos?

Elas estão sobre o nosso modo de julgar os fatos!

Temos o pressuposto: livre arbítrio, que nos permite julgar cada momento de forma diferente só que isto é apenas uma característica que temos o que não significa que sabemos ou julgamos os fatos de maneira imparcial.

É totalmente natural e humano que cada um perante o mesmo fato tente se proteger a ser diminuído em seu ser por um fato!

Um bandido ao ser preso mesmo que tenha sido filmado vai tentar explicar e dar sua versão sobre o fato ocorrido, vai de alguma maneira tentar diminuir sua culpa e, portanto vai querer mudar a realidade daquilo que realmente se vê em uma filmagem, ou seja: Vai querer impor uma verdade que não vemos!

Há de se entender então que o pressuposto dito: Verdade de cada um... Não passa de uma tentativa, embora mentirosa, de querer mudar o contexto dos fatos!

Por que isso acontece?

Bom, este nosso Universo é totalmente novo para nossa antiga psique!

Em 1895 foi o ano que a humanidade conheceu as primeiras filmagens. Até então nossa mente era a única forma de registro que tínhamos dos fatos e mesmo assim, com a possibilidade de filmar, a humanidade teve dificuldades de entender as primeiras filmagens feitas, pois a câmera era uma só e os filmes não tinham som!


Este é um mundo totalmente novo para a mente humana, e como vimos em “As Poderosas Forças do Poder” nós temos um senso muito forte de proteção ao novo e nossa mente ainda não esta apta a participar deste mundo de forma automática. A absolvição de paradigmas é ainda a maneira mais rápida que temos para um novo aprendizado, portanto quando debatemos com alguém sobre um fato mesmo sendo este um filme, ao demonstrar uma visão diferente é natural do ser tentar se proteger ou até mesmo absorver a ideia do outro da mesma forma como se faz em um paradigma, mas a opinião do outro pode ser um engano ou até mesmo não estar dentro do aspecto mais comum que temos em nosso julgamento, surge então à ideia de que “há uma verdade em cada um”, mas como pode haver diversas verdades de um mesmo fato?

Na realidade não existe a tal falada “verdade de cada um” e sim o caráter de cada um, a forma que a mente de cada ser tem sobre a percepção do que ocorre pode ser diferente, porém a maneira com que se vê um fato não será capaz de mudá-lo.

Só muito recentemente, neste novo mundo que temos, podemos ver que os fatos estão fixos no tempo passado, a forma com que reagimos, formamos nossa opinião e observamos é totalmente ineficaz e sem poder nenhum de mudá-los.

Por isso, hoje estamos vendo esta nova realidade, de não podemos mais mudar o passado!

Anteriormente podíamos relatar os fatos ao nosso bel “livre arbítrio” e fazer dele a imagem que bem queremos, como dizer ser inocente de um crime e tentar convencer os outros de nossa inocência, só que como podemos ver não é o nosso relato que vai nos tirar da responsabilidade de encarar os fatos, e estamos vivendo isso a todo instante. Por isso em nossa era atual a humanidade tem tantos problemas psicológicos e síndromes doentias em seus próprios sentimentos. Antes era fácil mentir pra si mesmo, fingir sentimentos e mascarar os fatos, quando o ser humano vivia em tribos, o fato de se deslocarem de um lugar para outro lhe trouxera o conforto de uma nova realidade, outros lugares, outras coisas a serem feitas, outros fatos envolvidos, seres que antes tinham participado do nosso convívio eram deixados para trás e falar deles sem nenhum apego a realidade era bem fácil. Podia-se dizer qualquer coisa e ter isso como verdade ou não, não atrapalhava nos afazeres do grupo e então nossos antepassados não tinham depressões, insônia, o que antes era pra ser algo natural, como dormir, hoje é preciso buscar remédios para isso.

Nós vivemos agora em cidades, em lares fixos e temos em nossas gavetas as imagens de pessoas que participaram do nosso passado, muitas vezes, temos gravados por imagens fixas paradas no tempo, como também em vídeos e até em nossas lembranças, fatos ocorridos em um determinado local e os objetos com qual vivemos que participaram dos fatos, por isso sofremos mais e nos angustiamos com mais intensidade neste nosso novo mundo e mesmo que tentemos criar barreiras de proteção como dizer:

- Esta é a sua verdade e não a minha verdade!

Não tem saída! A verdade de cada um é na realidade a mentira que todos nós queremos usar, para nos proteger daquela grande e cruel e fadada única verdade que o tempo e os fatos deixam sumariamente gravados neles.

Podemos tentar fingir e até achar que temos o arbítrio de julgar de forma individual e totalmente independente, mas isso era o nosso engodo do mundo passado, neste mundo este engodo não nos serve mais e temos então que encarar os fatos e viver com eles por mais que eles nos afoguem em angustias e lagrimas.

Assim como só há um caminho real e verdadeiro ao olharmos para os fatos, existe outro caminho real e verdadeiro ao olharmos para o futuro:

- Este Universo é também o Universo das causas!

Portanto e só o agora é que esta em nosso controle, e viver o agora é programar nossa viagem para o futuro, assim como programamos um passeio no parque, um jantar a dois, um encontro, podemos até programar o que queremos ver deste mundo dos fatos, seja um filme romântico, de aventura ou algo que nos traga um conhecimento maior, nossas alegrias são as únicas forças que temos ainda o direito de causá-las.

Então temos que saber aceitar os fatos, sejam eles bons ou ruins, não importa o que de fato já te ocorreu, ou se você é ou não responsável por eles, não adianta repensar os fatos para tentar muda-los você nunca irá conseguir mudar o que lhe ocorreu, somente o seu julgamento sobre o que ocorreu é o que pode ser mudado, então vamos causar nossas alegrias, nossas felicidades, cause o amor que você quer, cause aquilo que você tanto deseja e tenha no passado a paz de que está tudo já consumado, intacto, sem nenhuma interferência de quem você é agora, por que tudo que passou, passou, agora viva para as causas sem o efeito borboleta, pois se lá atrás o bater das asas pode causar um furacão, aprenda então a pousar na primeira flor que você vê, ficando em paz, e saiba que daqui a pouquinho você vai poder voar novamente sem causar nenhum mal para os outros e principalmente para si mesmo ai de fato os fatos serão sempre por uma boa causa.

Comente com o Facebook: