sexta-feira, 26 de abril de 2013

A diversidade adversa!


         Este artigo foi um tópico que fiz no Orkut! Ainda vale a pena ler novamente:

         Certo dia, vi um homem colocando tijolos de construção na rua com a intenção de isolar a passagem, fui ver o ocorria e um caminhão havia quebrado bem na outra esquina, aqui no fim da rua faz um L e não dá pra ver diretamente o que ocorre no final da rua. Bem alguns motoristas surpreendidos em ter que virar uma rua antes, decidia passar por cima e quando um tomava esta decisão os demais acompanhavam!
         Tentei avisar sobre um caminhão que interrompia o trafego e pela gentileza as respostas eram sempre palavras de baixo calão!


         Há muito tempo atrás quando morava em São Paulo Capital eu embarcava no metrô Tatuapé e descia na estação Republica. Como era sempre horário de pico eu já tinha uma porta de minha preferência no qual ao descer na Republica já desembocava direto na escada rolante, ao chegar à estação Sé o lado de desembarque era sempre pelo lado esquerdo do sentido do trem, mas um policial (bem gordão por sinal) estava deste lado para embarcar, como quem banca o mais esperto de todos, ele começou a reclamar do fluxo enorme de pessoas que desembarcavam deste lado, ao entrar no trem ele me encarou por estar no cantinho da porta e segundo ele impedindo a entrada! Eu argumentei:

         - Este lado é pra desembar... Mal terminei e ele rogou:
         - CALA BOCA SEU MULEQUE!  Ainda quer ter razão!

         Fiz exatamente o que ele pediu!
         Mais inconformado ele retrucou novamente:

         - Vai continuar ai, Cara?

         Já que falar não era permitido só apontei com o dedo para a seta que havia na porta indicando que aquela porta era de desembarque! Meio sem jeito ele foi saindo de fininho até o meio do corredor! Um rapaz que presenciou a cena me disse:

         - É o que dá quando a mulher dorme de calça jeans apertada e de cinta!

         Não consegui nem rir!

         Quando trabalhei no Hotel Samambaia na Rua Sete de setembro 422, estava indo a cozinha quando de repente vi seis pessoas tentando passar por uma porta ao mesmo tempo e sem tempo pra dar meia volta acabei sendo atropelado por todos!
         Foi à válvula da panela de pressão que estourou e com o susto o levante veio pra cima de mim!

         Estas são algumas das varias situações adversas que vivi e todas elas me levaram a reflexão de como o ser humano não sabe lhe dar com aquilo que sai rotina ou até mesmo com a rotina de quem vive uma mesma situação todo dia. O ser humano reclama e busca sempre diferenças, mas quando em certas ocasiões elas ocorrem à falta de experiência com o desconhecido lhe trás um dano, por sempre haver em nossos dia-a-dia diversas situações adversas você acredita estar preparado para lhe dar com situações assim?



         Isto me lembrou uma vez que uma barra de alumínio encostou-se ao pino do plug de uma maquina que estava ligada, quando um amigo foi pegar a barra ficou grudado nela! Mais dois funcionários foram socorrer, e eu ao ver a situação me coloquei a frente, e ao invés de socorrer simplesmente puxei o fio! Depois do ocorrido foi que os outros dois tomaram ciência de que iam acabar na mesma situação.

         Eu nem sei como pensei tão rápido, mais a lição que ficou é que em muitas situações temos que colocar a razão acima do coração. A partir daí sempre quando vejo um filme, uma história qualquer, diversifico a situação e procuro sempre imaginar a melhor saída. Não obstante, alguns anos mais tarde assisti um documentário que falava somente de acidentes de aviões e em todos os casos a pessoa que já tinha imaginado algo parecido, como a queda do avião já sabia antecipadamente o melhor a fazer, foram as que sobreviveram e que conseguiram ajudar os outros. Em alguns casos foram às únicas a sobreviverem, isto demonstra que por mais inusitado que seja o ocorrido temos sempre que analisar com frieza e imparcialidade para simplesmente: sobreviver.



E Viver

Comente com o Facebook: