terça-feira, 3 de setembro de 2013

A Mecânica de Deus

A Mecânica de Deus


        Falar do ser humano e não falar das crenças humanas é ignorar o que nos faz realmente humanos.
            Vivemos em sociedade, respeitamos as regras criadas por esta e ainda nos empenhamos em ter uma função dentro de toda esta mecânica que nos cerca é o que nos levou a sermos civilizados, mas o que nos leva a crer em algo maior?
            As religiões, embora hoje em dia não tenham o poder de estado como antigamente, têm promovido a nós uma forma de acreditar na vida, no respeito, na justiça e principalmente no castigo que teremos sobre nossos erros!
    
       Embora a religião tenha polarizado um Deus do bem e um agente do mal, seja qual for à denominação, a crença arraigada de todas as culturas é que o bem sempre vencerá apesar de não explicar exatamente o porquê da vitória do bem, mesmo que seja após a morte a crença que os justos serão recompensados e os maus, injustos e incrédulos serão castigados esta na mente de quase todos os seres humanos que existem sobre este Planeta. Como crianças que precisam ser repreendidas e ensinadas a respeitar e buscar o bem, as religiões fazem o mesmo com os seus, citando histórias do passado que visão ensinar que os bons sempre serão beneficiados e os maus castigados, como na história de Davi que para mostrar seu valor e uma força divina especial que o guiava, enfrentou um gigante que foi derrubado com uma simples pedra atirada por Davi!
            Parece ser um belo exemplo de defesa dos justos acima da força do mal, no entanto se pensarmos que o bem deve ser comum para todos os seres qual o mal havia no gigante para merecer cair por uma simples pedra?

Que mal havia no povo que ele defendia?

            A verdade é que esta luta ainda não foi vencida por lado algum, todos os anos vemos conflitos na região do oriente médio que são na verdade uma luta por crenças, cada qual acreditando que a sua crença é mais justa que a do outro, ou que as terras que habitam são as terras prometidas aos seus ancestrais e assim se fazem guerras ferindo e matando quem nascem por ali sem ter vinculo com o bem ou com o mal, na verdade, apenas o desejo contido de cada lado em defender a sua própria ambição.
            Nesta mecânica que inventam para defender seus próprios anseios usam Deus como protagonista maior que deu o direito deste ou daquele povo para guerrear e lutar por um punhado de solo seco e empoeirado que nada se parece com a terra do leite e do mel.
            Neste contagio de desejo de vitórias sobre o outro surgem também às religiões que conotam as vitórias como sendo uma ciência aplicada sobre toda a humanidade, como o dizimo, por exemplo, que foi uma ideia originada por Moisés como uma forma de manter uma das tribos ligada apenas ao cunho religioso onde as ofertas e julgamentos deveriam ser levados para que estes apresentassem e julgassem como sendo os emissários de Deus!
            Moisés pode ter tido uma visão política de um povo que deveria ter um governo, assim como pagamos impostos para termos os benefícios do convívio em sociedade, o povo deveria apresentar à um único partido suas necessidades e estes apresentariam as soluções, mas este mecanismo não deu certo e por varias vezes o povo judeu tornou a ser servos de outros povos, mesmo assim muitos religiosos usam prefácios dos fatos passados para garantir suas ambições.
Assim como acontece com o povo que ainda insisti em querer fazer valer as promessas e formas de governo no passado sobre o mundo atual, assim também fracassam as religiões em seus cultos onde a verdadeira sabedoria é ceifada em troca das ambições e desejos de seus lideres.
Mas para abranger ainda mais a questão vejamos mais um exemplo:
Crescei-vos e multiplicai-vos e estejais sobre toda face da terra.
Estas palavras são citadas como sendo as palavras de Deus ao povo Judeu e com isso fizeram uma nação que não tinha nação!
Nem é preciso relatar que isso gerou ódio sobre outros povos e tudo mais (pra encurtar a história) e que só depois da segunda Guerra através de decreto se estabeleceu que ali devesse existir uma nação que na verdade não existia!
O resultado é este que vemos acontecendo até hoje!
Ou seja:
Por seguirem idéias ditas serem de Deus, todo um povo deixou de seguir a noção de nação como todo resto da humanidade fez e por esta falta temos em falta à paz mundial!

Tudo isso nos mostra que prefácios de palavras antigas levam parte da humanidade a seguir com um outro mecanismo que no fundo ao ser aplicado em nosso mundo atual criamos uma peça mecânica que não se encaixa na mecânica de toda a humanidade.
Por este motivo será que não é bom termos cuidado com a mecânica que dizem ter vindo de Deus?
Um dos maiores ídolos da humanidade foi à primeira vitima desta falsa mecânica, e você vai aceitar cruzar os prefácios de um mundo velho com a fazenda de um mundo novo?

Eu não!

Este ídolo foi Jesus Cristo e como todos sabem foi julgado e inocentado perante a mecânica dos homens que é a mesma mecânica do mundo atual: se apresenta um réu, são feitas as acusações e procura-se a defesa do mesmo para que a justiça possa julgar não pelas paixões humanas e sim pela veracidade dos fatos. Pela veracidade ele foi inocentado, tanto que sua condenação posterior fez com que Pilatos lavasse as mãos simbolizando que não foi por ele que um inocente foi condenado, em outras palavras as leis e as formas como são aplicadas não produzem culpa sobre alguém claramente inocente (isso supostamente) ao vermos as supostas leis de Deus vemos falhas e faltas onde o que parece ser mais a tirania de lideres antigos querendo impor suas vontades usando o nome de Deus para ter aprovação da maioria.

Por isso a suposta mecânica de Deus ainda produz guerra entre os povos que de tão apegados a esta mecânica não saíram de onde estavam e só temos a agradecer por isso, pois neste apego ao velho mundo preso em seu território um novo mundo surgiu livre por todo o Planeta.

Comente com o Facebook: