terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Jesus! Quem foi e Quando Voltará!

           Se eu intitula-se este artigo com o nome:

Yehoshua! Quem foi e Quando Voltará!

Raramente alguém iria associar este texto a Jesus, afinal Jesus é o nome mais conhecido por todos, mas a questão que quero chamar a atenção aqui é:
Se erraram até na tradução do nome, imagine na tradução do que Ele disse?

A letra “J” não existe no Aramaico que é considerada a língua materna de Jesus, e é interessante chamarmos este povo de “Judeus” sendo que a letra “J” nem existe para eles. Existem outras palavras que também não existe para o povo onde nasceu Jesus, como Diabo e Satanás, que mais se aproxima é Caluniador e Opositor respectivamente, também a palavra “AMOR” que é dita muitas vezes como tendo sido dita por Jesus também não existe na sua língua materna.

Bem não vou trazer aqui um estudo abrangente e etimológico sobre estes conhecimentos, pois hoje em dia qualquer pessoa que quiser se aprofundar no conhecimento pode buscar isso na internet e na leitura de livros, existem diversos estudiosos que dedicaram anos de estudo para nos fornecer estas informações e com certeza seus conhecimentos tem por base o próprio estudo de outras demais pessoas, o fato é que se erros assim existem na bíblia, erros de tradução mesmo e de interpretação quantos mais erros de pensamentos e idéias que nos foram passadas e transmitidas ao longo do tempo, os evangelhos foram escritos muitas décadas depois da ida de Jesus (não vou dizer morte, pois é certo que ele ressuscitou, portanto não está morto) e que muito antes de existir os evangelhos as cartas escritas pelos apóstolos eram a forma de transmitir o pensamento cristão aos seus demais seguidores em outras localidades. Algumas dessas cartas estão na própria Bíblia e o fato interessante é que em muitas delas vemos frases como:

_- Quem tem ouvidos ouça... Ou:
_- Ouçam a palavra...

O que nos mostra que as cartas eram lidas publicamente, já que as pessoas que sabiam ler eram poucas e até mesmo as que sabiam escrever e ainda mais traduzir para outras línguas eram raríssimas.

O latim era a língua nativa falada próxima a região de Roma, mais especificamente em Lácio e foi usada pelo Império Romano que ao se converter para o cristianismo acabou sendo usada pela igreja de Roma para levar o evangelho aos novos Cristãos de diversas nações, o latim é uma linguagem que não é falada por nenhum país oficialmente e é considerada uma língua morta, mas voltamos no tempo um pouco para falar sobre a leitura das cartas: no inicio da era cristã muitos queriam saber e conhecer as histórias sobre este homem que se tornou para muitos o próprio Deus em vida também é considerado o filho de Deus que veio ao mundo para resgatar a humanidade do “PECADO” que é mais uma daquelas palavras que foram ganhando sentido ao longo do tempo diferente de sua origem, pecado e pecar é visto como sendo de mesma origem, porém pecado vem de transgredir e transgredir seria a desobediência enquanto que pecar vem de tropeçar, que seria o equivalente a dizer que alguém errou ou falhou, mas não por vontade própria e sim por falta de atenção. É comum entre os cristãos considerarem que todos nós nascemos do pecado, porém para os Judeus todos os homens nascem sem pecado já que a desobediência de Adão e Eva não recai sobre seus descendentes, é comum também as pessoas acharem que o sexo é propriamente o pecado, mas no inicio da era cristã o pecado era simplesmente a desobediência aos mandamentos e o abuso do direito de liberdade.

Antes de prosseguir quero deixar claro que minha crença pessoal é de orientação Cristã (está palavra “Cristo” vem do grego Khristós que significa ungido, ou seja, que é dedicado a Deus, que serve a Deus), porém não sigo nenhuma doutrina de orientação religiosa que também tem sua origem, a religião, no encontro que as pessoas faziam para ouvir a leitura das cartas dos apóstolos que com o tempo passou para o grau de entidade, como uma reunião eclesiástica que mais tarde ganhou o sentido de liturgia que nada mais é que a celebração dos sete sacramentos que por fim elevam a fé no próprio comportamento humano, bem como o amor a família e a sociedade humana como um todo. Mas sigo a orientação cristã como uma filosofia a ser aplicada sobre nosso próprio existir que não altera em nada a minha observação e respeito aos sacramentos, só não vejo que a intenção de Jesus tenha sido compreendida por todas as religiões que o colocam como ser superior a humanidade... Mais adiante ficará mais fácil me entender.

Portanto antes de Jesus o pecado era desobedecer às leis escritas por Moisés, porém Jesus surgiu com novos mandamentos e observações que ele mesmo fez sobre a leitura e compreensão destas leis de forma mais humana e consistente com uma verdadeira sabedoria a ser seguida por todos sem discriminação sexual ou de raça.

Um exemplo disto é a condenação de Maria madalena a ser apedrejada em praça publica segundo a lei deixada por Moisés, Jesus, porém não interveio ao que iria ser feito, ele simplesmente disse:

Quem estiver sem pecados que atire a primeira pedra!

Bem, antes de prosseguir quero dizer que: É bem provável que Jesus não tenha dito exatamente estas palavras o que é sábio é que na época os homens eram quem praticavam o apedrejamento e como o povo Judeu já estava há décadas sobre o domínio de Roma e como é de costume para os Romanos todos eles terem iniciação sexual com prostitutas, os Judeus também teriam adquirido este modo cultural de agir, portanto quando levaram Madalena diante de Jesus para saber se ele iria desobedecer mais esta lei de Moisés é bem provável ele ter dito:

Quem nunca esteve no prostíbulo que atire a primeira pedra!

Isto indica que ele não distinguiu se era apenas a mulher que prostitui como também igualou a todos a pratica da prostituição, portanto a lei de Moisés não diz que é apenas a mulher que prostitui, mas sim todos que recorrem a esta prática sexual também estão em prostituição.

Chegamos aqui ao ponto crucial deste artigo:

Jesus, Quem foi?

            Quando eu era criança queria entender o porquê do natal, quem era Jesus, quem ou o que é Deus...  Eram varias questões que eu queria entender, porém insatisfeito com as explicações das pessoas que me rodeavam decidi partir para o estudo próprio sobre estes assuntos, aos 11 anos de idade ganhei um Bíblia católica e parti para a leitura diária e dedicação para obter o conhecimento.

            Logo de inicio fui ficando frustrado com o que lia!

            Deus da bíblia era o Deus do povo de Israel, de Abraão... Até Jesus Cristo era da estirpe de Davi. Em nenhum momento encontrei algo que mencionasse Deus como sendo o Deus de toda a Humanidade, o Deus de todo Universo, o que ficou claro pra mim era que Deus assim é considerado por ser o criador de tudo, ou seja: Não é algo dito por Deus e sim uma dedução lógica da própria Humanidade.

            Tal frustração me levou a sentir que eu era um ser inferior na criação, não pertencia diretamente ao povo de Deus, mas pra minha salvação havia um caminho: Jesus Cristo!

            Segundo o conhecimento de todos este havia morrido para resgatar toda humanidade!

            Assim eu também acreditei, mas com o tempo sentia a necessidade de ter mais conhecimento de obter mais informação e esclarecimento sobre isso.
            Vivi grande parte de minha vida como um homem comum, levando uma vida comum dentro de um conhecimento comum e igual a todos.

            Mas as questões não paravam de vir a minha mente!

            Afinal quem foi Jesus, o que ele realmente queria dizer com sua morte e sacrifício pela humanidade?

            Via pessoas adorando o homem que é considerado o filho de Deus, pois ele disse que:

            - Ninguém vai ao pai se não for por mim!

Mas daí eu já via um erro enorme sobre o que isso quer dizer!

Não foi dito que só é salvo quem o Adorar, quem o celebrar e amá-lo! Isso é o que a maioria da humanidade veio a entender, porém dizer que ninguém vai a Deus se não for por Ele quer dizer que ele conhece o caminho... Para esclarecer isso vou usar de uma metáfora:

Digamos que Jesus tenha ido à Índia e que voltou para dar noticias a todos de como é a vida lá na Índia, alguém chega e pergunta a ele como é que podemos chegar à índia?

Ora! Ele responderia que por ser o único ali que já esteve na Índia diria então que conhece o caminho e se alguém quer chegar lá deve seguir o caminho que ele está dizendo que fez.  Ou seja:

- Ninguém vai há Índia se não for por mim!

O que ele quer dizer então que pra alguém chegar lá deve seguir pelo caminho que ele está dizendo.

O que a humanidade faz hoje em dia é como uma nau que está sendo levada pelos ventos, basta então adorar o vento que o vento vai levar sua nau onde você quer, ou até (como dizem) o melhor lugar que o vento escolheu pra você!

Ora! Não há como o vento saber o que é melhor pra você e também não será por que você diz amar o vento que o vento vai passar a soprar ao seu favor!

Em minha forma de ver tudo que está relacionado a Jesus acabou ganhando status de adoração a um ídolo, quando na verdade trata-se de uma nova visão sobre o conhecimento de Deus. Jesus muitas vezes falou das escrituras como no sermão da montanha onde ele fala sobre os 10 mandamentos, como:

- Ouvistes o que foi dito: não matarás!

- eu em verdade vos digo que todo aquele que se enfurecer contra o seu irmão (irmão no sentido de se enfurecer contra seu semelhante) já estará em pecado...

Existe outras citações onde Jesus questiona os mandamentos de Moisés, como guardar o sábado, onde ele diz que os homens não foram feitos para o sábado e sim o sábado para os homens, como as proibições da lei de Moisés com relação a certos alimentos e Jesus diz que não é o que entra pela boca que contamina a alma do homem e sim o que saí.

Fica óbvio que a tentativa de prender Jesus e seus seguidores partiu dos anciões que se viram ameaçados em perder os seus valores de crença por causa das contra argumentações de Jesus e como a lei de Moisés condenava assim quem fazia se viram no direito de condená-lo a morte.

Havia 18 tipos de desobediência as leis de Moisés que poderiam condenar as pessoas à morte e Jesus por muitas vezes desobedeceu estas leis e até impediu que elas fossem cumpridas como no caso da condenação de Maria Madalena.

Vemos então Deus de duas formas diferentes na Bíblia:

1.    Em um primeiro momento Deus é um homem severo, cheio de autoridade e exigente de obediência e como se não bastasse era também inquestionável em suas leis e julgamentos.

2.     Depois de Jesus, Deus passa ser um pai generoso e bondoso que ama a humanidade e trás a verdade a quem procura pela simples questão da fé, capaz de perdoar e aceitar nossas falhas sem a punição severa e imposição de castigo há quem erra.

Logo após a ida de Jesus muitas pessoas começaram a contar histórias e querer saber mais sobre este, os apóstolos em suas peregrinações se viam obrigados a contar e as pessoas, que passaram então a se reunir para ouvir as histórias, a leitura de cartas que eram enviadas a estas comunidades para buscar manter a unidade da crença e da fé passou a ser de leitura por muitos, varias outras cartas que não estão na bíblia também foram enviadas, as pessoas interessadas em saber sobre os ritos e as pregações das chamadas Boas Novas começaram a ganhar um local próprio para celebrar e repetir estes ritos. O próprio Jesus na celebração da páscoa deixou aos apóstolos a incumbência de repetir os seus gestos, na chamada hoje de santa ceia, como a entrega do seu sangue e sua carne para purificação dos homens.

O próprio Jesus se consagrou como sendo ele mesmo a representação da própria verdade em vida e a partir desta representação deixou aos apóstolos o rito de dividir e entregar sua carne e sangue, representados pelo pão e vinho a todos que assim aceitarem, a partir de então, estarão vivendo em comunhão com a verdade. Certamente este rito tem um significado maior do que o que é aplicado hoje, pois as pessoas não levam em consideração que a partir daquele momento estão elas em comunhão com Jesus, em outras palavras com a verdade, o que quer dizer que nossos atos e palavras são agora como uma extensão de atos e palavras do próprio Jesus em nós.

Embora existam diversos erros nas traduções e entendimento do próprio Cristianismo, Jesus foi com certeza um grande alquimista e tinha um conhecimento muito elevado sobre a própria natureza humana e também da física, como o fato de multiplicar pães e peixes curar as pessoas e realizar outros prodígios, mas ele não disse em nenhum momento que era o único a fazer isso, pelo contrario, muitas vezes ele disse às pessoas que eram curadas que a sua fé os tinham curados, também disse aos apóstolos e demais que seriam capazes de realizar o mesmo até além do que ele fez.

Sem duvida quem chamamos hoje de Jesus foi um dos maiores homens no sentido mais humano de toda humanidade, capaz de realizar feitos que estão além das próprias leis da física atual, porém não foi um mágico super dotado e nem ao menos alguém que nasceu com um roteiro pré programado para seguir, ele se propôs a seguir este caminho por um conhecimento e compreensão da necessidade de elevar o espírito humano, de liberdade de pensamento e expressão do mesmo, já que ele mesmo foi muitas vezes um incomodo para os de sua época, em ver que suas crenças estagnadas no tempo, estavam sendo desmascaradas por um simples homem sem exercito ou riqueza, sem herança ou privilégio, Jesus que se intitulava Rei dos Reis sabia muito bem que o seu reino não era daquele mundo e muito menos deste nosso mundo atual, reinar significa governar, estabelecer uma ordem e manter as pessoas ligadas no sentido de estarem sobre um reinado, ou seja sobre um governo e não existe um Rei maior do que um Rei que governa com o conhecimento da verdade universal, uma verdade que serve para todos os reis e mundos, lugares e seres que é a verdade do próprio conhecimento. Um ser que possui o conhecimento do que é o bem e do que é realmente o mal ao transgredir o seu conhecimento estará transgredindo com a própria verdade de seu conhecimento, assim estará fora de estar em comunhão com este ser que foi o primeiro ser humano a chamar a si mesmo de Verdade!

Bem eu poderia me estender muito mais sobre o assunto, mas gosto que as pessoas pensem por si só e a partir das minhas ponderações, afinal a verdade é a evidência de si mesma, então vou partir agora para ultima parte:
Quando Voltará?

Existe a crença que Jesus voltará para reinar sobre a terra e julgar a todos os seres, desde os vivos até os que já morreram!

Se Jesus voltasse ele então deveria estar vivo até então!

Bem para isso ele teria de estar em algum lugar do Universo com seu corpo físico, inspirando oxigênio e sobre a pressão atmosférica...

Será então que ele virá de uma nave espacial???

Bem, pessoalmente não acredito em um retorno físico do ser chamado Jesus e sim no encontro de toda a humanidade com o conhecimento da verdade.

O apocalipse trás uma série de noticias do fim do mundo e tudo mais, mas é preciso lembrar que Jesus nasceu entre o povo Judeu e certamente certas coisas que ele dizia se tratava dos fatos que ante vinham ao seu povo, como o fato dele dizer que não iria ficar pedra sobre pedra e que aquela geração no qual ele estava presente viria isto, então ele estava falando mesmo do fim da cidade de Jerusalém que acabou sendo destruída algumas décadas depois de sua ida aos céus.

O reino dos céus em meu entendimento não significaria um reino feito para o ser humano fora do planeta Terra e sim o reino do futuro, pois o futuro estaria ao longe, ou seja; em outro espaço e tempo, por isso dizer “o reino dos céus” seria como dizer o reino que virá no futuro em outro tempo e obviamente em outro lugar no espaço já que o nosso planeta não só gira em torno do Sol como este também gira em torno da nossa galáxia que também está se movendo para outro ponto do espaço a cada momento. Portanto nunca estamos no mesmo espaço e cada espaço é dado em outro ponto no céu.

Jesus ao dizer que ele voltará e que nós ao receber seu sangue e sua carne para estar em comunhão com ele estaríamos todos então sujeitos a verdade, o que quer dizer que se todos nós em conhecimento e ação e em cada atitude, deveríamos agir como sendo ele próprio e então a humanidade como um todo integrada neste conhecimento estaria então sob o seu reino.

Isto vem a dizer que nós é que fazemos este reino.

Existem outros tantos mistérios para falar sobre Jesus e seus ensinamentos, mas o que há de certo é que um Rei só é Rei se convencer a todos que o seu reinado, ou seja: sua supremacia, sua soberania, seu poder de autoridade deve ser obedecido e nada é mais forte do que a obediência a verdade.

Se já sabemos que pular em um abismo nos causa a morte, esta é então a verdade para com todos.

Se ninguém pular, ninguém irá morrer, então não espere que o seu rei seja obrigado a estar lá embaixo para te segurar nos braços, pois a verdade é que você sabe que não deve pular então obedeça a seu rei da verdade e não pule, mas se você já esta em queda lembre-se que o perdão é a corda que está do seu lado e que você pode agarrá-la e não cair na tentação de chegar ao fundo, então deixe reinar em seu coração a verdade, para que com ela você viva bem e por fim a sua vida será a sua verdade.

Amém.

Para conhecer a trilogia deste artigo siga os links:


            Deus! O que é e Onde encontrar!

Comente com o Facebook: